Presidente da Assembleia Municipal dirige-se aos alpiarcenses para assinalar o 25 de Abril

A assinalar os 46 anos do Dia da Liberdade, o Presidente da Assembleia Municipal, Fernando Louro, dirigiu-se aos munícipes num discurso que transcrevemos na íntegra:

“MENSAGEM DO PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE ALPIARÇA 
Dr. Fernando Rodrigues Louro 

Caros conterrâneos Alpiarcenses
Caros amigos

Como Presidente da Assembleia Municipal de Alpiarça não poderia deixar passar esta data de 25 de Abril sem vos dirigir umas palavras.

Vivemos uma situação de pandemia inédita nas nossas vidas, que pela sua gravidade, e para defesa de todos nós, obriga-nos a muitas restrições na nossa mobilidade e no contacto com as pessoas.
Assim a data do 25 de Abril não poderá ser comemorada da forma usual e como todos nós gostaríamos.

Apelo que se mantenham nas vossas casas, aqueles que o podem fazer, mesmo tendo muita vontade de sair à rua e comemorar esta data tão importante.
Nada impede que na nossa casa, no seio da nossa família, a comemoração não possa ser feita. Claro que sim, pode e deve.

Se alguns quiserem, nas suas janelas, cantar o Grândola ou colocar essa música a tocar, que o façam sem restrições. Enfim, devemos ser criativos nos nossos festejos.
Mas sobretudo podemos aproveitar este momento, junto dos nossos filhos ou netos, ou para os mais jovens, junto dos vossos pais e avós, para conversar, para refletir, sobre aquilo que representa o 25 de Abril, sobre o Portugal que tínhamos e o Portugal que temos.

Nessa reflexão também podemos conversar sobre os sinais de que os derrotados de 25 de Abril estão querendo levantar a cabeça. 
Envoltos numa linguagem populista, demagógica, vêm pedindo descaradamente que o Estado se torne cada vez mais pequeno e menos relevante, que o Serviço Nacional de Saúde se reduza ao mínimo, que a Escola Pública tenha menos investimentos, que os trabalhadores tenham menos direitos para que as empresas possam subsistir, enfim, entre muitas outras coisas, gostariam de acabar com a nossa Constituição.

O populismo, é na verdade um dos maiores perigos do mundo atual, porque anda disfarçado, que consiste em dizer às pessoas aquilo que as pessoas gostariam de ouvir, mesmo que hoje digam uma coisa e amanhã outra. No fundo enganam, só sabem enganar.
Quando criticam, por exemplo o Serviço Nacional de Saúde, apontando as lacunas que ainda existem e que continuarão a existir infelizmente, e que muitas pessoas sentem na pele, eles não pretendem a melhoria dos serviços, não querem apontar soluções, o que eles querem é o seu fim, o que eles querem é acabar com o Serviço Nacional de Saúde, acabar com aquilo que temos, para favorecer a medicina privada, o que eles querem é a degradação dos serviços públicos. 
Muito cuidado.
Dizem muita coisa com que nós concordamos, mas com objetivos diferentes, perigosos. É o canto da sereia, muito belo, que nos encanta, mas que nos atrai para uma armadilha, se estivermos distraídos.
Devemos assim estar atentos para esses enganadores e procurar esclarecer nossa família e amigos.

Óbvio que agora andam calados com isso, escolheram outros alvos, ou não fossem oportunistas. Agora não é o momento certo para se criticar o Serviço Nacional de Saúde, muito menos os profissionais que heroicamente nos dão todos os dias o seu esforço para que a nossa saúde coletiva não se agrave.
Mas estão à espera, com os dentes bem afiados, e lá voltarão, quando acharem que é oportuno, esquecendo totalmente que temos sido elogiados a nível mundial, e a própria Organização Mundial de Saúde considera que o Serviço Nacional de Saúde em Portugal, é um dos melhores do mundo.
O que nos deve orgulhar.
E isso deve-se à nossa Constituição, que muitos gostariam de destruir, à Constituição que saiu do 25 de Abril.
Por isso devemos refletir sobre tudo isso, e essa reflexão também, é um excelente meio de festejar Abril.

Uma palavra de apreço para todos os profissionais de saúde, que arriscam sua vida e de sua família, para cumprirem com o seu dever, assim como para todos os profissionais do Estado e das Autarquias locais, dos supermercados, enfim de todos os serviços que ainda funcionam, para nos servir.

Uma referência especial para os trabalhadores do Município e da Freguesia. O nosso muito obrigado.
Uma palavra de apreço também para todos os outros Alpiarcenses, que se têm mantido em casa. Respeitando as instruções das autoridades sanitárias.

Uma saudação ao Sr. Presidente da Câmara, Vereadores, Sra. Presidente da Junta e restante equipa, merecedores do nosso apreço e do nosso respeito, que se têm mantido em funções, tomando medidas, zelando pela nossa saúde, fazendo o melhor que se pode neste período tão difícil, informando a população da situação do concelho, a informação verdadeira e confirmada, não alinhando em boatos que nos vão enganando irresponsavelmente, propagados pelos mesmos de sempre, que bem conhecemos.

Acredito que a partir de agora possamos sentir algum alívio nos condicionalismos que temos vivido nos últimos tempos.
É natural que alguns serviços possam reabrir, lentamente e gradualmente.
Mas o perigo ainda não passou. Longe disso. Se não continuarmos a ter cuidado, a cumprir rigorosamente as instruções das autoridades, corremos o sério risco de ver aumentar em muito o número de infetados.
Todo o cuidado é pouco.

Por último, mais um alerta, para que os discursos e as decisões tomadas em tempos ainda recentes não vão avante desta vez.
A crise não pode ser ultrapassada exclusivamente à custa dos trabalhadores, dos pensionistas e das pequenas empresas.
Nunca à custa dos direitos constitucionais, nem das conquistas Abril.
Nem um tostão para ajudar empresas que acabam de distribuir milhões pelos seus acionistas. Nem mais um tostão para ajudar bancos. 
Neste céu cinzento, os vampiros batendo as asas, com pés de veludo, já se preparam para atacar.

É preciso que Abril se cumpra.
A terminar, uma palavra de esperança.
Acredito que este tempo de crise nos vai fazer sentir melhores pessoas, mais fraternos, mais solidários, mais livres. Embora aqui e ali se notem ainda sinais pouco animadores.
Mas vamos acreditar. Serão tempos diferentes. 
Mas vamos todos beneficiar.

VIVA O 25 DE ABRIL.
VIVA ALPIARÇA.
VIVA PORTUGAL

O PRESDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL
Fernando Rodrigues Louro”