Opinião política: Para refletir!

Digam o que disserem, para mim, Alpiarça é uma terra diferente, é uma terra mística, cheia de riquezas e plena de “gentes” especiais e pessoas incríveis!
É por esta “magia” que sinto que vale a pena lutar por uma história melhor, é por esta “magia” que eu amo esta terra e é por esta terra que escrevo estas linhas.
Não nasci em Alpiarça, mas gostaria. Levantar de madrugada e ir para o campo, sentir o cheiro a terra lavada pelo orvalho, cruzar o olhar com o da raposa itinerante, sentir nas mãos o suor da terra, vivenciar todas as sensações de Alpiarça, é algo indescritível… Conhecer todas as riquezas da terra: a barragem, a reserva, o museu, as quintas, o casario, a gastronomia, a cultura, o povo, enfim, uma panóplia de pequenas maravilhas, é algo a que não se pode ficar indiferente. Se em vez de criticar e maldizer, reclamar e protestar, se atuasse e mostrasse “obra” feita, isso sim, acrescentava valor.
Alpiarça outrora foi terra rica. Porque deixou de o ser? Aquilo que eu sinto é que esta terra, por motivos políticos, sociais, estruturais, de desenvolvimento ou outros, estagnou e regrediu no tempo! Daquilo que vejo e percebo, as pessoas insistem em pensar e agir como no passado. Há 40 ou 50 anos atrás a conjuntura era outra, temos de entender que o que ficou no passado é passado, e que temos de viver o presente a pensar no futuro.
O facto é que os tempos mudaram, e se a tecnologia evoluiu de uma forma acelerada, o conhecimento individual é cada vez maior. Como é possível Alpiarça ter parado no tempo? Pensemos assim: se esta terra tem as mesmas riquezas do “antigamente” em termos de solo, de bens, de condições atmosféricas, etc., se a população tem nos seus genes a “alma” do “antigamente”, porquê não utilizar tudo isso num desenvolvimento positivo? Porquê vitimizarem-se? Porquê não lutar por algo melhor?
Alpiarça precisa, urgentemente, de mudar a mentalidade e a forma de pensar das suas gentes, precisa acreditar que é uma grande terra, e que a prosperidade está aí, esperando o momento e a oportunidade.
As pessoas têm de entender que temos de trabalhar em parceria, com respeito, dedicação, empenho e satisfação e que ao gerar riqueza nos outros, geramos riqueza em nós próprios, e que riqueza gera prosperidade financeira, pessoal, profissional e de valores. E a prosperidade, qualquer que seja, consegue-se com desenvolvimento e crescimento económico daquilo que temos: agricultura, turismo, gastronomia, indústria, cultura, entre outros.
O Movimento Todos por Alpiarça, é o movimento libertador, é o movimento independente, constituído por pessoas de bem, que de coração lutam por uma terra digna, que lutam pelo progresso dos seus habitantes e que pretende restituir a Alpiarça todo o esplendor de outrora.
Alpiarça e as suas gentes têm, de uma vez por todas, de sair da cápsula do tempo e acordar para o futuro.

Judite Gregório
Movimento TPA