COVID-19: Subida elevada do número de casos no Concelho de Alpiarça

Depois do concelho de Alpiarça se encontrar isolado, no distrito de Santarém, relativamente ao número baixo de casos registados que não chegou aos dois dígitos durante muito tempo , eis que agora uma subida vertiginosa vai colocar o concelho com medidas mais apertadas.

Neste momento há 41 casos ativos no concelho, 47 recuperados e 4 óbitos. Uma das maiores empresas empregadoras do concelho, a Monliz, já tem um surto identificado, com 14 casos positivos, o que significa que a economia local vai ser afetada.

Um número que merece uma reflexão de toda a comunidade. Um período de Natal mais “aberto” no que se refere a medidas de contenção, as notícias do aparecimento das vacinas levam a que muitas das pessoas relaxem os seus comportamentos. Alguma argumentação pode ajudar a clarificar a situação que se vive:

  • A DGS tinha referido que o contágio se verificava em ambiente familiar, pelo que se entende que, o Natal seria um foco natural de propagação do vírus. As medidas aprovadas para esta quadra destinavam-se apenas a servir como uma bolha de oxigénio ao comércio e à restauração. O Natal deveria ter sido apenas uma celebração do agregado familiar.
  • O período da vacinação mais abrangente e que vai cumprir a tal imunidade de grupo, só chega lá para o final da primavera e princípio de verão. Nesta altura é que a população ativa, a que circula no dia a dia, vai ser vacinada. Até lá, a vacina só protege um grupo muito limitado de pessoas.

Compete a cada indivíduo ter consciência e ser responsável pelos seus atos. Cumprir regras de proteção individual e, acima de tudo, evite contacto físico. Guarde para mais tarde a expressão máxima dos seus afetos. Pela sua saúde, pela saúde de todos nós e pela economia já que é ela que mantém a sobrevivência das comunidades.