COVID-19: O que muda às 00h00 desta quinta-feira

O Governo decidiu agravar as restrições à circulação durante o período da Páscoa como forma de evitar as deslocações e ajuntamentos habituais nesta altura.

No âmbito da renovação do Estado de Emergência (renovado até 17 de abril), aprovada na semana passada, a partir das 00h00 desta quinta-feira, 9 de abril até às 24h00 do próximo dia 13, entram em vigor as seguintes medidas mais restritivas:

  • Proibição de circular entre concelhos.
    • Excepção para deslocações por questões de saúde ou “por outros motivos de urgência imperiosa” (lê-se no texto do decreto)
    • Por questões de trabalho – os trabalhadores devem ser portadores de documento emitido pela entidade patronal.
    • Esta restrição não se aplica a profissionais de saúde e de apoio social, agentes de proteção civil, das forças de segurança, militares e pessoal civil das Forças Armadas e inspetores da Autoridade de Segurança Alimentar e económica, magistrados, líderes dos parceiros sociais e titulares de cargos públicos.
    • Pode também circular entre parcelas de concelhos com descontinuidade territorial.
  • Proibição de realização de celebrações de cariz religioso e de outros eventos de culto que impliquem aglomerações de pessoas. Esta medida mantém-se até dia 17 de abril.
  • Não são permitidos voos comerciais de passageiros de e para aeroportos nacionais.
    • Exceto aterragens de emergência, voos humanitários ou para efeitos de repatriamento.

Quem não cumprir estas medidas incorre em crime de desobediência.

Estão também em vigor as medidas gerais do Estado de Emergência (até 17 de abril) que relembramos:

  • doentes infetados estão obrigados ao isolamento.
  • as restantes pessoas devem evitar sair de casa, excetuando as saídas de curta duração.
  • não são permitidos aglomerados com mais de cinco pessoas, exceto se pertencerem à mesma família (agregado familiar).

Segundo o Boletim Informativo emitido pela Direção Geral de Saúde esta quarta-feira, dia 8, Alpiarça regista 6 infetados pelo COVID-19 confirmados que se encontram em isolamento no seu domicílio, exceptuando um destes doentes que aguarda alta hospitalar.