Câmara elimina lagarta do pinheiro

A Câmara está a proceder à aplicação de produtos fitofarmacêuticos contra a lagarta processionária do Pinheiro, nas zonas circundantes da Casa dos Patudos, Albufeira e Reserva Natural do Cavalo Sorraia, assim como noutros locais que estarão devidamente assinalados para o efeito.

Nesse sentido, a autarquia emitiu um comunicado alertando a população para o facto de não recolher as pinhas desses locais para consumo de pinhões.

A processionária-do-pinheiro, Thaumetopoea pityocampa Schiff, é um inseto desfolhador que pode parasitar todas as espécies de Pinus e Cedrus.

Em termos de saúde pública, a processionária pode constituir um grave problema nos anos de fortes ataques e junto a locais habitados ou frequentados pelas populações. As lagartas, a partir do terceiro instar (novembro-dezembro), desenvolvem pêlos urticantes que provocam alergias na pele, nos olhos e no aparelho respiratório dos seres humanos e podem provocar os mesmos sintomas nos animais, podendo, no caso destes últimos, levar à morte.