Autarquia subsidia associações culturais e desportivas do concelho em quase 60 mil euros

Foi aprovada na reunião de Câmara desta sexta-feira, 31 de julho, a atribuição de 59.390,00 euros de subsídio anual às associações culturais e desportivas do concelho de Alpiarça.

Às 10 associações do concelho – Associação Cultura e Recreio do Frade de Cima, Centro Cultural e Recreativo do Casalinho, Clube Desportivo “Os Águias” de Alpiarça, Clube Náutico Albufeira dos Patudos, Grupo de Dadores Benévolos de Sangue do Concelho de Alpiarça, Grupo Etnográfico de Danças e Cantares de Alpiarça, Núcleo de Cicloturismo de Alpiarça/100% TT, Rancho Folclórico da Casa do Povo de Alpiarça, Real Clube Petanca de Alpiarça e Sociedade Filarmónica Alpiarcense I º de Dezembro foi atribuído um valor de acordo com o Plano de Atividades e Registos da Associação apresentados ao Município.

Num ano atípico, já que a situação pandémica forçou à paralisação das atividades, o executivo considerou esta verba importante para a manutenção do associativismo no concelho. Os “Águias” que levam a maior fatia – cerca de 31 mil euros, estão a braços com a substituição da cobertura do pavilhão gimnodesportivo de 1974 orçamentada em 55 mil euros e com um apoio apenas do Instituto Português do Desporto e da Juventude no valor de 16 mil euros. Já a Sociedade Filarmónica recebe 21 mil euros mas também precisa de substituir instrumentos musicais e de adquirir fardamentos para novos elementos e para substituir outros.

O vereador João Pedro Arraiolos salientou que as associações com subsídios de valor mais baixo têm também apoio do município no que se refere a logística, transportes, material, etc. que não está contabilizado nesta atribuição anual.

A vereadora em substituição de Sónia Sanfona, Alzira Agostinho, referiu que futuramente deveriam ser anexados a estas propostas, os relatórios de atividades com referência ao número de pessoas alcançadas, níveis etários para que se possa avaliar se os valores atribuídos são baixos ou não.

O vereador do pelouro referiu que nas reuniões com as associações essas informações são discutidas, contudo, há necessidade de se proceder à revisão dos regulamentos que datam já de 2002.