Alpiarça associa-se à Campanha Laço Azul contra Maus Tratos a Crianças

O executivo de Alpiarça recebeu no passado dia 1 de abril, nos Paços do Concelho, os representantes da CPCJ de Alpiarça – Rui Coelho, presidente, e Ricardo Luciano – para a entrega do Laço Azul, o símbolo de uma campanha de sensibilização contra os Maus Tratos na Infância que irá decorrer durante todo o mês de abril.

A Campanha do Laço Azul (Blue Ribbon) é um movimento que surgiu no ano de 1989, no estado de Virgínia, E.U.A.,que rapidamente ganhou dimensão mundial, quando uma avó, Bonnie W.Finney, amarrou uma fita azul à antena do seu carro para chamar a atenção das comunidade para a violência contra as crianças. Os seus netos tinham sido maltratados pela mãe (filha de Bonnie) e pelo namorado. Uma das crianças terá mesmo vindo a falecer, vítima das agressões. O azul do laço simboliza as nódoas negras espalhadas pelos pequenos e delicados corpos.

Segundo o relatório anual da APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, cerca de 1841 crianças e jovens foram vítimas de violência no ano de 2020, ou seja, uma média de 35 crianças por semana ou 5 crianças por dia, dados estes relativos a vítimas apoiadas pela APAV.

O Relatório de Segurança Interno relativo a 2020, apresentado em finais de março, refere que, de forma geral, há uma descida das participações de crimes em Portugal. Para análise comparativa, precisamos de considerar os “maus tratos” incluídos na categoria de violência doméstica e nas ofensas físicas. Assim, a violência doméstica regista a nível nacional 27.637 participações, o que representa uma diminuição de 1.861 casos (-6,3%).

De entre as tipologias que integram esta categoria, a violência doméstica contra cônjuge ou análogo assume 85% de toda a violência doméstica. Apenas a tipologia de violência doméstica contra menores regista ligeira subida.

No que se refere a vítimas de violência, ainda a nível nacional, 74% tem idade igual ou superior a 25 anos (26910); 14,3% tem menos de 16 anos (5216) e 11,6% tem entre 16 e 24 anos (4230). No Distrito de Santarém, registaram-se em 2020, 880 ocorrências e em 2019 , 1057, ou seja, menos 16,7%.

Já as participações de criminalidade geral foram 12120 em 2019 e 10925 em 2020, no distrito de Santarém. Alpiarça teve 187 participações de crimes (não surge especificado em que categorias).

No distrito, a violência doméstica teve 736 participações e as relativas a ofensas à integridade física foram 668.

Relativamente à situação nacional quanto aos crimes contra a liberdade e a autodeterminação sexual, a maioria das detenções teve por base o crime de abuso sexual de criança (119 detidos), seguido do crime de violação (44 detidos) e do crime de pornografia de menor (33). As vítimas de abuso sexual estão predominantemente no escalão etário 8-13.

Para denunciar casos de maus tratos a crianças pode preencher o formulário da Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens no site oficial deste organismo: https://www.cnpdpcj.gov.pt/comunicar-situacao-de-perigo

ou através da Linha “Crianças em Perigo”- 961 231 111.