Projeto Pioneiro de Recolha de Lixo da Ecolezíria implementado já em 2019

Ontem, dia 27 de novembro, o Salão Nobre dos Paços do Concelho de Almeirim foi o palco para a apresentação do projeto de Recolha Seletiva de resíduos urbanos da Ecolezíria na presença do Dionísio Mendes, administrador da Ecolezíria, Manuela Matos, da Comissão Diretiva da Po Seur – Programa Operacional Sustentabilidade E Eficiência No Uso De Recursos, Francisco Ferreira, presidente da Associação Zero Resíduos que é parceira no projeto, Francisco Teixeira, representante da APA – Agência Portuguesa do Ambiente que substituiu o secretário de Estado do Ambiente que não pode estar presente e Pedro Ribeiro, presidente do executivo de Almeirim e em representação da Resiurb.

O projeto será implementado já a partir do próximo ano e terá duas fases. Segundo, Dionísio Mendes, administrador da Ecolezíria, a primeira fase consiste na sensibilização da comunidade para a necessidade da reciclagem de resíduos e envolve todos os parceiros, municípios, associações, escolas e munícipes. A segunda fase, que será implementada em meados do ano que vem, consiste na recolha porta a porta dos resíduos que as pessoas deverão separar – vidro, plástico, cartão – e identificar e colocar à sua porta de acordo com um calendário que as câmaras divulgarão. Pioneiro será também a recolha dos bioresíduos (restos de cozinha) através da combostagem, com equipamento entregue a quem possua jardins ou outros espaços exteriores. Serão selecionadas famílias numa fase experimental, até 2020, altura em que o projeto entrará no dia-a-dia dos munícipes destes concelhos. No caso de povoados dispersos, serão colocados mais ecopontos.
Este projeto não tem custos diretos para os municípios, apenas através da Resiurb, e será financiado pela Po Ser com 15% a 20% de participação da Ecolezíria. Com taxas de reciclagem muito baixas, Dionísio Mendes espera que os 6 concelhos Almeirim, Alpiarça, Benavente, Cartaxo, Chamusca, Coruche e salvaterra de Magos)  em 2020 reciclem 40% dos seus resíduos. Economicamente, quanto mais reciclar, menos pagará o munícipe pelos resíduos que produz.

Francisco Ferreira, da Associação Zero, referiu que este é um projeto pioneiro e ambicioso no caminho da sustentabilidade. Longe das metas propostas no que se refere à reciclagem, esta será a única solução para salvar um planeta ameaçado pelo alteração do clima e falta de recursos.

Este evento contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Alpiarça, concelho participante num projeto que poderá ajudar a resolver o problema do tratamento dos resíduos sólidos urbanos, que estão na ordem do dia, Fernanda Cardigo, presidente da Junta de Freguesia e o vereador pelo PS, António Moreira. Entre outros representantes de municípios, associações e escolas, Alpiarça esteve em força nesta sessão com as intervenções do deputado do MUDA, Armindo Batata e o alpiarcense Eduardo Costa.