“Muro da Discórdia” volta a ser atacado em dia da visita do Professor Presidente

Na manhã desta terça-feira, 12 de março, uma data que ficará na história do concelho como o dia em que um Chefe de Estado visita Alpiarça para prestar homenagem a José Relvas, a vila acordou com mais uma inscrição no muro que cerca os Paços do Concelho.

Com menos mestria na arte de bem desenhar que a sua antecessora, esta inscrição como se pode ver pela fotografia que circula nas redes sociais, nada acrescentaria à cultura do professor presidente. Mas deixou os alpiarcenses muito pouco satisfeitos.

Recorde-se que, em abril de 2018, a inscrição de uma frase de Karl Marx alusiva às comemorações do II Centenário do nascimento do filósofo, no mesmo muro, geraram polémica entre a população e crisparam as relações entre os vereadores. A inscrição foi apagada algum tempo depois quando a autarquia procedeu à pintura de toda a área circundante dos Paços do Concelho.

Durante a reunião de Câmara de hoje, dia 15 de março, o presidente da autarquia, Mário Pereira, interpelado pelo vereador António Moreira, referiu que não sabe quem colocou a inscrição. Assegurou que não foi a Juventude Comunista que pintou o muro. “O Partido Comunista Português e a sua Juventude não precisam de fazer as coisas às escondidas em democracia. Isto foi uma provocação!” – referiu ainda o autarca.

O muro foi de imediato pintado.

O muro está enquadrado numa área que é propriedade do município e, pela Lei nº 61/2013 de 23 de agosto, no seu artigo 3º refere que “compete às câmaras municipais licenciar a inscrição de grafitos”. Os autores da infração estão sujeitos a coimas e à apreensão do material utilizado.