Karl Marx “transforma”muro da Câmara Municipal de Alpiarça num muro das contestações

As comemorações do II Centenário do Nascimento de Karl Marx já agitaram as ruas de Alpiarça.  Pensar-se-ia que a questão dos CTT e a teoria marxista da mais-valia, o aumento de riqueza à custa do esforço dos trabalhadores, o desemprego ou a situação do serviço  público tivessem inflamado os ânimos, justificando a atualidade do legado de Marx mas, eis que uma frase do autor de “O Capital” grafitada no muro da Câmara Municipal de Alpiarça gerou discussão  na reunião de Câmara desta terça-feira. Não tanto pela frase em si, uma vez que é inquestionável a capacidade transformadora do Homem na evolução do mundo, mas pela escolha do local do grafiti: o muro do edifício da autarquia.  Na reunião, o presidente da Câmara  foi questionado sobre a formulação do pedido de autorização  que não existe  e das soluções para resolver o problema. Direitos e regalias, liberdade, liberdade de expressão , temas que uma democracia permite discutir a par de outros como a legitimidade e a legalidade, tudo foi argumentado.

Uma simples  frase num muro de uma casa que simboliza o poder do povo levanta ainda, em última instância,  dúvidas sobre os fundamentos na base desta escolha. Mas “práxis” à parte, remover ou não o grafiti, eis a outra questão.

De louvar o conhecimento sobre Marx da juventude alpiarcense; mas como referiu um vereador :”Podiam ter usado uma faixa!”