Presidente da assembleia municipal nega voto de louvor à GNR

O resultado já era previsível mas ainda assim o movimento TPA decidiu voltar a arriscar esta noite, 30 de setembro na Assembleia Municipal, com a apresentação de uma proposta de Voto de Louvor à GNR de Alpiarça, indicando para tal as inúmeras apreensões levadas a cabo pelos militares do posto territorial e a descida da taxa da criminalidade na vila.

Tais argumentos não convenceram o presidente da assembleia municipal, Fernando Louro, que achou despropositada a apresentação de uma proposta que já havia sido chumbada uma vez, em novembro de 2015 e que, por esse mesmo motivo, não foi sequer merecedora de ser levada a votos por Fernando Louro.

Se para alguns munícipes esta tem sido uma batalha travada por forma a dar o reconhecimento, que é a seu ver justo, dos militares da GNR de Alpiarça, para outros o rigor extremo desta autoridade em ações frequentes de fiscalização na vila – desde operações stop junto a locais estratégicos, como cafés e bares, até infrações de estacionamento – também não são vistas com bons olhos.

Certo é que o tão desejado voto de louvor à GNR não vai acontecer tão cedo.