CTT vão para o Espaço GAM na Praça José Pinhão

Foi ratificado ontem, dia 28 de novembro, na reunião de câmara, o contrato de arrendamento entre CTT e autarquia para a cedência do espaço onde voltará a funcionar a estação dos CTT, no antigo Gabinete de Apoio ao Munícipe – GAM na Praça José Pinhão.

A discussão foi acesa e os vereadores da oposição abstiveram-se, com a vereadora Sónia Sanfona a referir que não pode votar favoravelmente esta ratificação porque desconhece os termos da negociação deste contrato. Em causa está a qualidade dos serviços de distribuição da empresa postal e a origem dos trabalhadores ao balcão que para a vereadora PS são assuntos que deviam ter sido discutidos.

Mário Pereira, presidente do executivo, referiu que “não era justo alocar a este processo” (da reabertura de uma estação) um problema que é nacional. O caso dos CTT é uma questão política e de distribuição de dividendos. Mário Pereira referiu que se tem mantido ao lado dos trabalhadores da empresa e da população mas que a administração vai dizendo que cumpre o contrato de concessão, nomeadamente no que se refere ao cumprimento dos tempos limite para a distribuição.

Os CTT irão pagar uma mensalidade de 150 euros, um valor simbólico para uma empresa que sendo privada faz um serviço público. O valor é um pouco superior ao arrendamento do anterior espaço.

O executivo, contudo, ainda não descartou a possibilidade da estação poder vir a operar no Mercado Municipal quando as obras estiverem concluídas e se assim entender a administração dos CTT.