Clima: Região do Tejo mantém situação de seca

Segundo o Boletim Climatológico mensal do IPMA – Instituto Português do Mar e da Atmosfera, no mês de outubro 36% do território mantém-se em situação de seca severa e extrema.

De acordo com o índice PDSI (Palmer Drought Severity Index), no final outubro, e com um valor médio da quantidade de precipitação correspondente a 81% do valor normal mensal, as regiões Norte e Centro sentiram um desagravamento da situação de seca meteorológica, contudo a região Sul mantém-se em situação de seca meteorológica.
O mês de outubro de 2019 classificou-se como normal em relação à temperatura do ar (com o valor médio 0,54ºC acima do normal) e seco em relação à precipitação que na região do Vale do Tejo, Alentejo e Algarve se ficou por valores abaixo de 20 %.

Mas o que é a seca meteorológica?

O IPMA define quatro tipos de seca: meteorológica, agrícola, hidrológica e socioeconómica.

A seca meteorológica está relacionada com o défice de precipitação em quantidade e intensidade, ou seja, abaixo do que é normal. Quando surge um desequilíbrio entre o volume de precipitação e a necessidade de água dos solos para as culturas, fala-se em seca agrícola que diverge de região para região. Esta falta de água no solo manifesta-se um, dois ou três meses depois da seca meteorológica.

Sem chuva e com os solos secos, a seca evolui para hidrológica, quando se verifica a redução dos níveis médios de água nos reservatórios e a depleção de água nos solos. E considerada seca socioeconómica quando a falta deste recurso produz impactos económicos, sociais e ambientais.