Casa dos Patudos bate recorde de visitantes e prepara-se para receber simpósio internacional

A Casa dos Patudos – Museu de Alpiarça divulgou os números relativos às visitas guiadas ao museu no ano de 2019. 11.503 visitaram a casa da família Relvas, um acréscimo de 2,8% de visitas relativamente ao ano de 2018.

A juntar às visitas há ainda outras atividades que decorreram ao longo do ano como a apresentação de livros, as exposições temáticas, evocação de efemérides e conferências que divulgaram e promoveram a história da Casa e do concelho. De salientar a comemoração dos 100 anos do Governo de José Relvas que trouxe ao Auditório da Casa dos Patudos um leque de inteletuais e investigadores em várias áreas do conhecimento que debateram temas em torno desta figura republicana. Estas conferências contaram com a presença do presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa.

Ainda a considerar os inúmeros artigos escritos pelo conservador do museu, Nuno Prates, sobre temas relacionados com a Casa dos Patudos e as participações em palestras e conferências nas Universidades, Institutos, Casas Museu, etc. que levaram mais longe o nome e a História de Alpiarça.

Este ano a Casa dos Patudos vai receber um dos maiores simpósios internacionais – o ICTM – Gupo de Estudos de Iconografia e Artes Performativas, que se irá realizar de 15 a 17 de Outubro de 2020.
O Simpósio tem como temática principal: Objectos e Imagens de Música em Museus Públicos e Privados e é uma organização conjunta do CESEM (Centro para o Estudo da Sociologia e Estética da Música)/Universidade Nova de Lisboa e Câmara Municipal de Alpiarça/Casa dos Patudos-Museu de Alpiarça.

Em 2019, o simpósio decorreu na Argentina e este ano desenrolar-se-á entre Lisboa e Alpiarça. E promete muitas surpresas e visitantes muito especiais, nomes que o conservador do museu não quis ainda revelar.

Só podemos ir tentando adivinhar: a família Relvas estava ligada à música; compositores predilectos Liszt, Bach… museus públicos e privados associados à música…Quem será a presença “misteriosa” no ICTM em outubro?