Candidaturas para o programa de controlo e apoio “Queima Segura” terminam a 13 de março

Governo lançou no início desta semana o programa “Queima Segura”, que determina que todas as queimas devem ser acompanhadas por bombeiros e sapadores.

Depois da obrigatoriedade de declarar as queimadas, surge este programa destinado a extensões mais pequenas de amontoado, estando os produtores obrigados a informar o Município/Junta da queima, enquanto que os municípios procedem ao seu registo para acompanhamento da atividade. Numa entrevista a um orgão de Comunicação Social, o Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel João de Freitas, referiu que este programa permite às autarquias coordenarem esforços, podendo mesmo determinar dias específicos para queimas.

“Queima Segura” tem como alvo a população mais idosa e mais fragilizada das zonas rurais e tem como objetivo reduzir o número de incêndios causados pelas queimas.

Este programa está inserido no Fundo Florestal Permanente para 2019, que conta com um total de um milhão de euros, e as candidaturas podem ser apresentadas até dia 13 de março.