Bateiras centenárias atracam no Patacão no VI Cruzeiro no Tejo

Já no largo rio navegavam as quatro embarcações que aportaram na Praia Fluvial do Patacão, em Alpiarça, no passado sábado, dia 9 de Junho, e despertaram as Tágides, ninfas do Tejo, musas do nome maior da cultura lusitana, Camões, que para sempre imortalizaria o rio através da epopeia “Os Lusíadas”.
Um dia com muita chuva mas que não afastou a população de Alpiarça de receber a Nossa Senhora dos Avieiros e do Tejo e os navegantes da 3ª Etapa do VI Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo. Organizado pela Confraria Ibérica do Tejo esta peregrinação fluvial de carácter religioso e cultural que percorre 250km de Tejo, tem por objetivo, como referiu João Serrano, membro da organização, não deixar cair no esquecimento o rio, a sua importância capital na economia portuguesa e no quotidiano de populações, chamando a atenção para problemas como a falta de água que dificulta a navigabilidade e a poluição que aos poucos vai matando o rio.
Esta viagem teve início a 31 de Maio em Malpica do Tejo, perto de fronteira com Espanha e está previsto terminar a 24 de Junho na Marina de Oeiras em Lisboa, num percurso em 12 etapas e 53 paragens. Uma destas bateiras, barcos tradicionais dos Avieiros, tem 100 anos e outra 70 e apesar da idade continuam a honrar o Tejo. O VI Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo conta com o apoio de mais de 150 entidades ao longo do Tejo, entre elas câmaras, juntas de freguesia, paroquias, o Ministério do Ambiente, o Ministério da Administração interna, Ministério da Defesa, a Guarda Nacional Republicana, (a divisão do Sepna que acompanha o Cruzeiro), a Marinha, (dois botes dos Fuzileiros que acompanham toda a navegação ), a Capitania do Porto de Lisboa, associações, coletividades e empresas ao longo do Tejo.
O presidente da Câmara Municipal de Alpiarça, Mário Pereira e o seu gabinete estiveram no local para receber estes “avieiros” e brindaram todos os visitantes com produtos da gastronomia local.