Atela cria vinho solidário e homenageia combatentes da 1ª Grande Guerra

A Quinta da Atela assinou com a Liga dos Combatentes nesta terça-feira, dia 16 de julho na sede da Liga, em Lisboa, um protocolo para a criação de uma nova marca de cinco vinhos – La Lys.

Serão 10 mil garrafas, com um rótulo com um fundo vermelho escuro que apresenta uma fotografia, cedida pela Liga, de um soldado português a segurar o capacete e que homenageia os combatentes posicionados em La Lys.

O lançamento do vinho La Lys, da prestigiada marca Atela, será efetuado a 16 de Outubro na Quinta da Atela e toda a marca La Lys será comercializada pela Liga e estará à venda, por preços entre os dois e cinco euros, a partir do final de setembro deste ano.

Para a Anabela Tereso, Administradora da Quinta da Atela, este é um projeto da anterior administração e que agora se toma forma.

Para a Liga dos Combatentes é uma forma de apoiar uma instituição cuja missão é “praticar a solidariedade” e dar apoio aos veteranos e seus familiares.

Um vinho com uma missão solidária e que evoca a história e os homens que a fizeram de forma simples e acessível.

Considerada como o maior desastre militar português depois de Alcácer Quibir em 1578, a Batalha de La Lys decorreu a 9 de abril de 1918 na região da Flandres (Bélgica) e no campo de Batalha estiveram 20 mil soldados do Corpo Expedicionário Português, impotentes para travar a ofensiva das oito divisões do 6ª Exército Alemão com cerca de 55 000 homens. Em apenas 4 horas de batalha, o CEP perdeu cerca de 500 homens, num total dos dois mil que morreram no período da Guerra de 17 /18, e cerca de 6000 foram feitos prisioneiros.  Entre os homens que prestaram serviço na 1ª Grande Guerra, nas várias frentes de batalha, como em África, contavam-se alpiarcenses.